segunda-feira , 16 outubro 2017
Home / Brasil / Bispo da Diocese de Palmares critica Globo Repórter, sobre reportagem que falou de nossa Senhora Aparecida

Bispo da Diocese de Palmares critica Globo Repórter, sobre reportagem que falou de nossa Senhora Aparecida




O Bispo da Igreja Católica, Dom Henrique, criticou o Globo Repórte que foi exibido na sexta-feira, dia 09/10/2017, sobre a devoção a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, que este ano completa 300 anos do encontro da sua imagem, por pescadores, no leito do Rio Paraíba do Sul, no Estado de São Paulo. Veja o ele escreveu através das redes sociais:

“Ponderações sobre uma chance perdida…

Vi o Globo Repórter sobre Nossa Senhora Aparecida.
Fiquei penalizado…

Não duvido nem um pouco da boa intenção de quem o pensou e o realizou…

Mas, o programa foi pobre, açucarado, apenas a expressão do que se tornou o fenômeno religioso, de modo geral, e o cristianismo, de modo particular, para o mundo atual: mundo aguado, sem verdade, sem certezas, sem Deus, o Verdadeiro.
A religião, ali, parece simplesmente algo meio mágico, alavanca de autoajuda para resolver os problemas da vida…

Não! Nossa fé não é crendice;
nossa religião não é mero folclore!

A Virgem Aparecida, mostrada nesse Globo Repórter, tem muito pouco de católica e quase nada de cristã… Não coincide com a Virgem Maria dos cristãos, não tem muito a ver com a Toda Santa Mãe de Deus da fé católica e apostólica, venerada pelos cristãos desde os primórdios da nossa fé em Cristo…

No programa, aparece uma Virgem Maria que é uma “santa”, quase que uma entidade… Uma Maria não cristã, não cristocêntrica… Não é bem a Virgem Maria Mãe de Jesus nosso Senhor, não é a Serva do Senhor, não é a Mãe da Igreja e dos cristãos todos, não é a criatura humilde e pobre que o Senhor, por pura graça, elevou e exaltou, colocando-a a serviço do Seu Reino.

O próprio conceito de fé ali apresentado não é cristão: é crença, é pensamento positivo, é força de vontade… Para os cristãos, a fé é a adesão a Deus com todo o nosso ser, é uma jogar-se inteiro e inteiramente nas Suas mãos benditas, como a própria Virgem Santíssima fez! Crer é suplicar, é derramar-se diante do Senhor e, depois, exclamar, com os olhos fixos no Cristo imolado e ressuscitado: “Por tudo o que fizeres de mim eu Te dou graças! Faça-se a Tua vontade sempre e em tudo, ó Senhor bendito!”

Nossa Senhora não é uma agência de resolver problemas. Na Igreja, sua missão materna pode ser resumida no Bom Conselho que ela mesma nos dá: “Fazei tudo o que Ele vos disser!” (Jo 2,5).

O Programa, se de verdade desejava mostrar a Virgem Aparecida dos católicos, da Igreja, do Evangelho, poderia ter seguido o seguinte roteiro:

1. Recordar rapidamente onde tudo começou: em Nazaré da Galileia, na Terra Santa de dois mil anos atrás: aquela jovem prometida a José, aquela mulher aos pés da cruz, aquela discípula feita Mãe do Senhor.

2. Depois, contar o milagre de 1717: os pobres pescadores, o achamento realmente impressionante da imagem, os peixes em abundância, os primeiros milagres, a devoção que foi crescendo no coração do Povo de Deus.

3. Em seguida, teria sido indispensável mostrar o que significa Maria Virgem para a fé católica e apostólica: mulher totalmente segundo o Evangelho, discípula perfeita, Mãe do Senhor e da Igreja, Mãe de todos e de cada cristão, discípulo amado de Cristo (cf. Jo 19,24-27).

4. Depois, sim, mostrar a devoção dos brasileiros à Virgem Aparecida, mostrar alguns milagres, alguns testemunhos, algumas romarias.

5. Por fim, de modo bem sucinto, mostrar o menos importante: algo do Santuário, Casa de Deus, Casa consagrada a Deus – a Deus somente! – em honra de Nossa Senhora Aparecida.

Este seria um possível e provável roteiro de um programa que quisesse realmente homenagear a Mãe do Senhor e a fé dos brasileiros.
Que pena! Mais uma oportunidade perdida com trivialidades e superficialidades… Aparece somente a fé como pensamento positivo que serve para alavancar motivações e ajudar a superar problemas… Isto tem quase nada a ver com a fé dos cristãos, com a fé da Igreja!

Tempos ruins, estes, de superficialidades, de louvações ao politicamente correto, de dissolução da força do Evangelho em gracinhas simpáticas e açucaradas…

Ó Amigo católico, viva a sua fé em profundidade! Mergulhe em Cristo, coloque-se na escola da Virgem Maria, entregando-se ao Senhor com todo o seu ser, com todo o seu coração, com toda a sua alma!
Converta-se! Sempre; em tudo! Convertamo-nos ao Senhor!

Viva a Virgem Maria, Mãe de Deus!
Viva a Mãe Daquele que tem o Nome acima de todo nome, único no qual há a salvação!
Viva a Virgem que nos convida todos à conversão ao Cristo Senhor!
Viva a Mãe da Igreja e dos cristãos!
Viva a Virgem que louva a Deus por derrubar os soberbos, cheios de si e elevar os humildes, que no Senhor esperam e confiam!
Viva a Padroeira do Brasil! Que ela ilumine a mina escura na qual o nosso País se encontra e funde em Cristo o pobre trem da nossa vida!”

 

 

Da redação – Fidélis Mangueira
redacao@conceicaoverdade.com.br

Deixe seu Comentário via Facebook

Comentário(s)

Veja Também

Músico da cidade de Cajazeiras é atingido com tiro durante assalto ao Banco do Brasil de São José de Piranhas

Durante o assalto ao Banco do Brasil de São José de Piranhas o musico Tikinho ...

%d blogueiros gostam disto: